PUBLICIDADE

Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
rodrigogazeta@bol.com.br
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
 
Pinto no lixo; Contraditório; O Luxo do Lixo; Lenha na fogueira
25/05/2016
 
Pinto no lixo

O prefeito Antônio Silva foi um empresário reconhecido no passado! Administrou grandes empresas, revendedoras de automóveis e chegou a advogar, embora tenha conhecido seu maior reconhecimento no meio público. Onde aliás, também enfrentou as maiores cobranças. Quando perdeu a Prefeitura de Varginha para o PT do saudoso Mauro Teixeira em 2000, Antônio Silva estava popularmente em baixa. Saindo de uma gestão cercada de dúvidas, dívidas e questionamentos.

Naquela época, Antônio Silva também vivia uma vida política conturbada, foi “inimigo intestinal e amigo íntimo” das mesmas pessoas por várias vezes, entrou e saiu de partidos, ganhou e perdeu amigos e dinheiro na vida pública. Os solavancos da política foram absorvidos pelo atual prefeito, mas sentidos principalmente por sua família, que nem sempre apoiou sua participação na vida pública, por conta do alto preço social a pagar.

Em todas as vezes que assumiu o Executivo Antonio Silva reclamou de herdar dívidas, problemas administrativos, e “esqueletos no armário”, além de eventuais desvios e irregularidades que nunca são comprovadas pela Justiça. Ainda assim, agora, Antônio Silva se prepara, novamente para tentar um novo mandato a frente da “trabalhosa, complicada e espinhosa” administração pública municipal da qual sempre reclama, mas nunca quer largar! Surpreendentemente, o prefeito, segundo suas próprias lamúrias, vai buscar mais um mandato, mais “problemas e dor de cabeça com a alegria de um pinto no lixo”! Da pra acreditar?

Contraditório

O diretor regional do Departamento de Estradas e Rodagem (DER/MG) em Varginha, Raimundo Zaiden entrou em contato com o signatário desta coluna para esclarecer uma nota aqui publicada. A nota divulgada na semana passada dava conta de uma suposta briga/afastamento entre Raimundo Zaiden e o empresário Samuel Maganha Filho. Ambos foram secretários municipais na gestão do PT e foram “homens de confiança” do então prefeito Mauro Teixeira (PT). Segundo Zaiden, de sua parte, não existe qualquer inimizade com Samuel Maganha, além do afastamento natural em razão de Maganha não estar mais militando na política, ao contrário de Raimundo. O atual diretor do DER em Varginha também contestou a possibilidade de “dedurar qualquer coisa”, uma vez que a coluna, na mesma nota da semana passada, havia dito que, pela “importância e proximidade que tinham nas gestões petistas”, tanto Zaiden quanto Maganha, “sabem tudo que se passou nos bastidores daquele governo”. Raimundo Zaiden disse que ainda hoje é vítima de comentários maldosos por conta de sua dedicação e militância política. Mas que não deixará de trabalhar intensamente para levar o PT novamente ao comando do Executivo de Varginha.

O Luxo do Lixo

A Prefeitura de Varginha prestou na ultima segunda-feira, 16 de maio, uma homenagem aos Coletores de Lixo pelo seu dia, com um café da manhã servido no pátio da Semel, em três turnos (manhã, tarde e noite), como tem acontecido todos os anos atendendo aos 70 servidores, incluindo coleta e motoristas dos caminhões. Um momento de confraternização entre amigos que prestam um relevante serviço à comunidade. Embora a homenagem do Executivo seja merecida e justa, não parece que o Executivo municipal esteja mesmo preocupado com a categoria, uma das que mais trabalha no serviço público.

Toda a cadeia do resíduo sólido (Lixo) tem sido terceirizada em Varginha, e a altos custos. Alias, um grande volume de recursos que não chega no bolso do pobre gari que percorre a cidade todos os dias recolhendo o lixo. A Prefeitura de Varginha terceirizou a coleta por longo período e também a disposição final do lixo em Varginha, quando assinou convenio irregular com a Copasa, sem abrir licitação, para operar o aterro sanitário municipal. Os garis concursados da Prefeitura são pouquíssimos, se ainda existir tal categoria, todavia, os contratados pelas empresas terceirizadas que recolhem o lixo não possuem os mesmos benefícios dos servidores concursados.

Desnecessário dizer que, após o inicio da operação do Aterro Sanitário, que está atrasado, os funcionários também não terão muitos direitos. Na contramão disso tudo, a Prefeitura de Varginha vai pagar milhões de reais, sem licitação, à Copasa operar o aterro sanitário municipal. Vale ressaltar que, muito provavelmente, a Copasa também vá terceirizar boa parte da operação, uma vez que não tem qualquer experiência com tal serviço. Traduzindo em miúdos, a empresa vai faturar alto para repassar o serviço e o pobre trabalhador, que fica na frente do trabalho, como os garis, vão continuar ganhando alguns poucos trocados por mês, enquanto os cofres públicos são “sangrados mensalmente”.     

Tira-teima na Saúde

Menos resistente às mudanças no governo mineiro, a bancada estadual do PMDB tirou, nessa quarta (18/05), a prova dos nove ao se reunir com o novo secretário da Saúde, o peemedebista Sávio Souza Cruz. Na pauta, emendas parlamentares na área da saúde travadas desde o ano passado e a possível nomeação de indicados do PMDB para as regionais de saúde no estado. O comando do PMDB tem recebido queixas das lideranças regionais de que não conseguiu emplacar seus indicados em tais regionais, o que agora esperam mudar! A conferir!

Revolta do bisturi

É fato que a classe médica de Varginha é das mais influentes e abastadas da cidade. São inúmeros médicos no setor público, na política, na classe empresarial e pertencentes as famílias mais influentes e tradicionais da cidade. Todavia, a classe que se protege no protecionismo da execução da medicina, não é unida nas áreas empresarial e principalmente política! É raro vermos, por exemplo, um médico delatar formalmente outro profissional por erro médico, todavia, não é difícil vermos pela cidade a sangrenta e baixa disputa empresarial entre clínicas e ainda mais baixa e mesquinha disputa entre médicos quando se trata de questões políticas.

A classe se mostra muito dividida quando o assunto é eleitoral! Os poucos médicos que sobressaíram na política local, não foram por apoio da classe, e aqueles médicos que hoje ainda tentam uma vaga política em Varginha são severamente “apontados pela própria classe”. Há o caso de um médico que já teria atingido o “topo” de sua área, tendo ganho muito dinheiro, o que lhe rendeu muita “vaidade e postos de destaque”. Todavia, após “cair em desgraça por conta da política, tenta se restabelecer, também através da política”, o que já gera contratempos nos bastidores. Há entre a classe médica quem ande com “dossiê pessoal” contra o tal suposto médico/candidato, aguardando para “marretar o colega, que pode vir a enfrentar chumbo grosso, se as denúncias realmente forem verdadeiras”. A conferir!

Perto e longe

Curioso como o Executivo municipal do PTB adota posturas diferentes em relação ao Governo de Minas, hoje comandado pelo PT. O prefeito Antônio Silva (PTB) e seu vice Verdi Melo (PSDB) dificilmente vão a Belo Horizonte e nos poucos convênios e entregas de veículos e equipamentos realizadas pelo governo estadual à Prefeitura de Varginha, algum servidor da Prefeitura vai representando o chefe do Executivo municipal. Vê-se claramente que Antônio Silva não quer e evita encontrar-se com o governador Pimentel. 

Vejam que na visita de Pimentel a Varginha, para a entrega do helicóptero do Corpo de Bombeiros, quem representou o prefeito na cerimônia foi, mais uma vez, o vice. Nesta semana, o Governo de Minas entregou mais um veículo para Varginha. O governo do Estado repassou uma ambulância equipada ao município. A cerimônia de entrega foi na cidade administrativa em Belo Horizonte, comandada pelo próprio Pimentel. Desta vez, nem o prefeito, nem o vice vieram. Um funcionário da secretaria de saúde foi a BH receber o veículo. Mas vejam que tanto prefeito como vice, já foram a BH ou outras cidades por conta de compromissos bem menos relevantes. Alias, para as negociações da Copasa com a Prefeitura de Varginha referentes ao gerenciamento do Aterro Sanitário, uma negociação que deveria ser técnica, o próprio vice-prefeito tem tomado frente de tudo e também o prefeito Antônio Silva tem participado de varias fases deste contrato milionário, fechado sem licitação, com a Copasa! O que tem de diferente com a Copasa, que pertence ao Governo de Minas, mas possui o “carinho especial” desta administração municipal? Aliás, nesta semana o próprio vice-prefeito esteve no local do aterro sanitário visitando as obras atrasadas da Copasa! Será que o vice foi duro com a Copasa como costuma ser em relação ao Governo de Minas comandado pelo PT? Ou será que os milhões que serão repassados dos cofres municipais à Copasa tem algum “efeito” sobre esta administração municipal? Qual seria este “efeito”?

Lenha na fogueira

O presidente da Câmara de Varginha, Rômulo Azevedo (PSD) requereu da Prefeitura de Varginha informações sobre a Guarda Municipal. O vereador questiona quais são as atuais competências e atuação da Guarda, quais têm sido os investimentos dedicados à instituição e quais são as estatísticas existentes sobre a atuação da Guarda em Varginha. Por certo que o edil vai receber uma pasta com informações “bem maquiadas” sobre a instituição de segurança municipal, ou então será surpreendido caso a verdade da Guarda Municipal e da Segurança Pública local lhe seja revelada. Se a intenção de Rômulo Azevedo era jogar “lenha na fogueira”, parece que vai conseguir, pois não vai demorar ate que os muitos insatisfeitos na instituição façam chegar ao vereador “informações não oficiais sobre a grande batalha interna” na instituição. A dúvida será saber se o vereador vai ter a bravura de denunciar o que poderá ficar sabendo! A conferir! 

E os privilégios?

Qualquer projeto de reforma da Previdência, para ser socialmente justo, tem que rever as aposentadorias especiais que permitem a certas categorias de servidores públicos pendurarem as chuteiras antes dos 50 anos, e com salário integral. As regras precisam ser equânimes para todos, porém se vê um claro beneficiamento de algumas castas de servidores públicos do Executivo, Legislativo e Judiciário, que aposentam com gordos rendimentos as custas de milhões de trabalhadores da iniciativa privada que trabalham a vida toda para aposentar com o magro salário mínimo! Isso precisa mudar!

O retorno do trator

O governador Fernando Pimentel (PT) se reuniu com Newton Cardoso (PMDB) na quarta-feira, 18/05. Já no dia seguinte, 19/05, foi a vez do vice-governador Antônio Andrade, que também é presidente do PMDB em Minas, conversar com o ex-governador Newtão, completando um esforço conjunto para aparar pontas soltas no PMDB-MG.

Newtão entrou no foco do governo mineiro. Expoente da geração de caciques dos anos 80, Newton andou meio esquecido nos palácios até a semana passada. Tudo mudou após a posse de Temer e de ministros peemedebistas com os quais Newton Cardoso compartilhou jantares, vinhos e emprestou aviões durante anos em Brasília. De repente, Newtão virou amigo do presidente e boa parte do núcleo duro que hoje comanda o Planalto, pessoas das quais muita gente em Minas precisa agora. No último dia 20 de maio foi aniversário de Newton Cardoso e muita gente “grande da política” voltou a circular na festa do ex-governador ou ligar para o cacique peemedebista mineiro.
 
Comente o Artigo
 
Últimos artigos deste colunista
22/05/2022
18/05/2022
15/05/2022
11/05/2022
« ver todos
 

Home | Notícias | Entretenimento | Expediente | Privacidade | Anuncie Aqui

Varginha Online - © 2000-2022


Provedor e Parceiro Oficial
IPHosting