PUBLICIDADE

Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
rodrigogazeta@bol.com.br
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
 
Entrevista com candidato a prefeito pelo PT, Rogério Bueno
16/09/2016
 

Nesta edição, conforme informado anteriormente, publicamos a entrevista completa do candidato a prefeito pelo PT, Rogério Bueno, que compareceu á Gazeta, juntamente com sua candidata a vice Silvana Prado. Na entrevista o candidato falou sobre seus planos para a cidade, caso seja eleito e respondeu perguntas dos seus três adversários políticos, de eleitores de Varginha e da redação da Gazeta. Vale ressaltar que esta formulação das perguntas é a mesma para todos os candidatos. Não é a coluna que elabora todas as perguntas, mas tão somente encaminha as perguntas de eleitores e outros candidatos ao entrevistado. Assim, segue abaixo a entrevista de Rogério Bueno e, também como ocorreu com o último entrevistado, na próxima edição, este colunista ira comentar as respostas do candidato. Boa leitura! 

01 – Candidato, o governador Fernando Pimentel, do PT, seu partido, garantiu que duplicaria o acesso de Varginha à Fernão Dias (BR-491). Qual a previsão para o início dessa obra e qual o seu compromisso com as promessas do PT estadual e nacional e vice versa?

R.B – A previsão de início dessa obra, antes eu quero agradecer a presença aqui na Gazeta de Varginha, conversando com esse importante veículo de comunicação, juntamente com a Silvana, nossa candidata a vice-prefeita, é uma honra pra nós estarmos à frente desse projeto, uma coligação de partidos, envolvendo aí o Partido Ecológico Nacional (PEN), o PSDC, e também o PRB, comungando junto com esse projeto o PT, e nós encabeçando esse projeto, para termos uma cidade que possa avançar e possa contemplar todas as pessoas. Essa obra a previsão de início dela é o mais rápido possível, os andamentos estão sendo feitos, nessa semana, salvo engano, já houve uma ordem de serviço para início da obra. Essa obra é algo que a população de Varginha, e mais do que a população de Varginha, a população da região, vai poder usufruir dela num curto espaço de tempo, porque foi um compromisso feito pelo nosso governador Pimentel ainda na campanha eleitoral, que ele estaria se empenhando para que todos os processos burocráticos sejam vencidos e a obra comece a ser executada. Então a previsão é que essa obra se inicie o mais rápido possível. 

02 – Candidato, como o governador do estado é do PT, seu partido, qual a previsão para a duplicação da Avenida do Contorno? O PT prometeu essa obra na eleição de 2014. O senhor tem como se comprometer com a sua realização?

R.B– Vamos esclarecer que quem prometeu essa obra foi o PSDB aqui em Varginha. O Aécio e o Anastasia, inclusive assinaram um documento em uma solenidade promovida pela Câmara Municipal de Varginha para conceder a eles Título de Cidadania Varginhense. E eles se comprometeram a fazer a continuação da duplicação da Contorno, e não só, também o Centro de Convenções. E não fizeram. Essa pauta é necessária para a cidade de Varginha porque nós precisamos avançar em infraestrutura. Então essa questão da duplicação da rodovia que dá acesso à Fernão Dias, e também a conclusão da duplicação da rodovia do Contorno. E outras obras importantes em termos de infraestrutura são necessárias para que nós possamos, com isso, preparar a cidade para que novos investimentos sejam feitos. Nós sabemos que um dos pilares para que os investimentos sejam feitos é você ter uma boa infraestrutura, que dê condição de escoamento das mercadorias, do que é produzido. Então precisamos avançar. Precisamos avançar com a nossa duplicação. Precisamos avançar com a transformação do nosso aeroporto em aeroporto internacional de cargas para que Varginha não fique para trás na história quando nós temos visto nos últimos anos. 

03 – Candidato, o candidato à reeleição, Antônio Silva, tem dito em sua propaganda eleitoral que herdou uma grande dívida da administração do prefeito Corujinha. Inclusive, o ex-prefeito, recentemente, obteve na Justiça o direito de resposta a essa acusação. O que você tem a dizer sobre isso? E como essa dívida milionária impacta a vida das pessoas?

R.B– É, eu acho que essa é uma tentativa de criar uma falsa verdade para a população e que já está dito pela sentença do Juiz Eleitoral no direito de resposta. Desde o primeiro dia de mandato, infelizmente, o prefeito está tentando construir essa imagem de uma dívida, num primeiro momento de R$ 127 milhões, que ele soltou no órgão oficial colorido, entregando de casa em casa, para todas as pessoas de Varginha, dizendo de uma dívida de R$ 127 milhões, tentando colocar na cabeça das pessoas que essa dívida teria sido construída pelo prefeito Corujinha. Acho que isso é uma forma não muito nobre de fazer política. Acho que se quiser fazer política com seriedade tem de dizer a verdade para as pessoas. Essa dívida foi construída ao longo da história. É uma dívida que 90% dela é previdenciária, do instituto de previdência. Boa parte dessa dívida é de responsabilidade do atual prefeito, que sacou do fundo de aposentadoria para pagar a folha de pagamento porque não tinha condições de pagar. E outros prefeitos que sacaram também recursos do fundo de aposentadoria para fazer investimentos no município. Outras questões são dívidas consolidadas, financiamentos, empréstimos que são feitos a longo prazo, como é o caso dessa atual gestão que já fez dez milhões de empréstimo, R$ 5 milhões para comprar equipamentos e máquinas, no início do mandato, e agora ao final do mandato pegou mais R$ 5 milhões do BDMG para fazer asfaltamento na cidade. Faz parte da administração, não temos de reclamar disso. O problema é ficar reclamando disso, incutir isso indevidamente a uma administração, porque é uma mentira, e ficar reclamando disso para justificar muitas vezes aquilo que não faz. Infelizmente é isso que temos percebido. 

04 – Candidato, o atual prefeito de Varginha, Antônio Silva, sofre duas CEIs (Comissão Especial de Investigação) e uma proposta de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na Câmara Municipal. O que você tem a dizer sobre isso e você acha que a população deve saber sobre isso?

R.B – A CEI é uma Comissão Especial de Investigação e a CPI uma comissão processante. Especificamente a Comissão Processante que temos hoje tramitando na Câmara é por conta da não aprovação das contas do prefeito Antônio Silva no Tribunal de Contas no ano de 2014. Ele foi acusado de três irregularidades: não ter gasto o mínimo obrigatório com a saúde, não ter gasto o mínimo obrigatório com a educação, e operações de crédito sem o devido respaldo legal. Nas duas primeiras, o Tribunal aceitou as justificativas dele, na terceira, o Tribunal não aceitou e mandou um parecer para a Câmara já apontando pela reprovação das contas. A Câmara, de fato, com esse documento abriu uma Comissão Processante porque tinha fatos, porque tinha provas, tinha elementos suficientes para abrir diretamente uma Comissão Processante. E está em andamento. A Comissão está trabalhando, vamos esperar o que vai ser concluído no final desse processo para vermos também como vai ser o posicionamento político dos vereadores. Em relação à CEI, é uma Comissão Especial de Investigação, na verdade não emplacou, houve uma denúncia na Tribuna da Câmara por um munícipe e infelizmente a maioria dos vereadores se posicionou contra o recebimento dessa denúncia e também tem fortes indícios de irregularidade em processo licitatório de aquisição de livros para educação financeira no município e segundo informações que eu tive esse munícipe fez uma representação junto ao Ministério Público e estamos aguardando como essa questão vai caminhar para que possamos tomar nosso posicionamento. 

05 – Candidato, na última administração do PT, iniciou-se uma grande mudança e ampliação no trânsito da cidade. Todavia, a obra não foi concluída e à época diversas irregularidades foram apontadas pelo Ministério Público. Qual seria sua proposta para o trânsito caso seja eleito?

R.B– Na verdade, o que houve na época foi uma denúncia, no meu ponto de vista, eleitoreira, foi feita no fogo da eleição, e também, é bom que fique registrado, no dia em que essa denúncia foi apresentada na Câmara e a Comissão de Investigação foi aberta, quem estava na Câmara acompanhando esta reunião era a tropa de frente da campanha do atual prefeito. Então, pra mim, claramente aquela denúncia, aquela Comissão foi articulada pelo pessoal do prefeito. Porque, eu na condição de vereador não tinha conhecimento e, no entanto, a coordenação de campanha do atual prefeito tinha conhecimento e estava presente na reunião. Sinceramente, fiquei aborrecido, não penso a política dessa forma, não acho que a política deva ser dessa forma, com atitudes que me cheiram até mesmo a golpe para poder criar desgaste em candidato em período eleitoral. Não faço política dessa forma e não compactuo com isso. A questão da reforma do trânsito, depois, acabou sendo executada pela mesma empresa, a mesma empresa que estava sendo acusada de ter sido beneficiada em processo licitatório e de superfaturamento em processo licitatório foi a mesma empresa que concluiu o processo e concluiu no mesmo projeto feito antes. Então eu vejo que ali foi mais uma questão política que infelizmente registra uma página negativa na história de Varginha no que diz respeito à condução da nossa cidade. 

06 – Candidato, porque temos visto tantos buracos pelas ruas da cidade, e qual sua proposta para manter em dia as vias públicas sem sacrificar as contas do município?

R.B– De fato nós temos um problema aí. Varginha, há uns 30 anos se destacava por ter uma infraestrutura diferenciada em relação às outras cidades. Uma cidade que era 100% asfaltada, isso há 30 anos. Hoje a cidade sofre porque esse asfalto que foi feito há tempos não tem mais vida útil, não suporta mais o dia a dia da cidade, o aumento do fluxo de veículos, a própria idade do asfalto porque ele tem uma vida útil. Precisamos de um plano arrojado, audacioso de fazer um trabalho de recomposição asfáltica no município, não ficando nessa situação de tapa buracos porque tampar buraco é querer apagar incêndio, você apaga um foco aqui aparece outro ali. Com a primeira chuva que vem após o tapa buraco os buracos voltam, isso é público e notório não precisa falar todo mundo percebe. Nós precisamos ter uma operação de recomposição do asfalto no nosso município. É claro que para isso precisamos ter muito recurso. Para fazer em toda a cidade, precisaríamos ter considerável recurso. Temos de ver se é possível conseguir esse recurso, através de fontes do Governo Federal ou do Governo Estadual, sem ser fonte de financiamento, ou até mesmo com financiamento, em último caso, para que a gente possa garantir que a cidade retome sua posição de destaque no que diz respeito à sua infraestrutura da sua malha urbana, o que, infelizmente, hoje tem sido um problema para toda a população e acaba gerando um desconforto muito grande para os usuários das nossas ruas. 

07 – Candidato, como todo partido, o PT tem pontos positivos e negativos. O PT nacional, de Dilma e Lula, se envolveu em graves problemas de corrupção. O PT estadual, de Pimentel, começou o governo aumentando impostos. Qual sua diferença para os modelos apontados e quais serão suas principais ações caso eleito?

R.B– Eu acho que essa discussão de análise de partido hoje não pode ser feita em relação a partido nenhum. Porque qualquer discussão que for feita em qualquer partido que seja a conclusão vai ser das piores possíveis. Porque nós não temos, infelizmente, no Brasil nenhum partido isento dos problemas que estamos vendo acontecer. E aparece em um partido, aparece em outro. Temos de descolar essa discussão partidária. Nós temos que, infelizmente, e eu digo que infelizmente nos vivemos uma crise partidária institucionalizada em todos os partidos, sem exceção. Nós temos de salvar a política olhando para as pessoas. E nós temos uma história aqui em Varginha de pessoas que lutaram, que trabalharam e que não tiveram envolvimento em nenhum escândalo e que deram muita contribuição para a nossa cidade melhorar. Digo isso na gestão do Mauro Teixeira que foi um grande prefeito, trouxe grandes empreendimentos para a cidade, que foi capaz de trazer uma universidade federal para Varginha, o Cefet e tantas outras obras importantes que deram um novo patamar para a cidade. E também do prefeito Corujinha, que conseguiu fazer grandes obras como a UPA e tantas outras que ele fez durante o mandato dele e todos eles sem nenhuma mancha de corrupção e denúncia de qualquer coisa que seja. Na minha situação pessoalmente eu tenho 12 anos na Câmara Municipal e não tenho nenhuma denúncia, não tenho nada que pese contra a minha atuação na Câmara porque sempre procurei fazer um trabalho comprometido com as pessoas e fazendo uma política realmente pela ética, pela seriedade e pela verdade. É dessa forma que nos trabalhamos. É dessa forma que queremos continuar trabalhando e contribuir para que a nossa cidade possa avançar e possa resgatar muitos projetos sociais que foram deixados de lado nessa última administração. 

08 – Candidato, é ventilado que o Governo de Minas, comandado pelo PT teria preferência em apoiar a conclusão do aeroporto de cargas de Pouso Alegre e não o de Varginha que está em estágio mais avançado. O que o senhor pode fazer quanto a isso? É possível se comprometer com a conclusão do aeroporto de carga de Varginha?

R.B -  A questão do aeroporto internacional de cargas de Varginha é um projeto que está adiantado e bem encaminhado. Querer falar que nós estamos disputando com Pouso Alegre é forçar demais. Pouso Alegre sequer tem aeroporto operando. Tem um aeroporto lá que para operar é com muita dificuldade, não tem balizamento noturno, uma dificuldade enorme. Pouso Alegre está cogitando de construir um aeroporto internacional. Isso depende da iniciativa privada. Sabe-se Deus se vai sair do papel, se vai conseguir fonte de financiamento pra ele porque o Governo Federal não tem financiamento para este tipo de projeto. Varginha já tem um aeroporto. O que precisa ser feito são algumas obras, o alargamento da pista, porque a pista do aeroporto de Varginha é excelente, talvez construir um novo terminal de passageiros ali, mais amplo que possa também atender. Então estamos muito à frente nessa história. O que temos que fazer é trabalhar para que Varginha possa consolidar o seu aeroporto como aeroporto regional que possa atender, não só a questão de passageiros, que é importantíssimo a gente manter, avançar em relação às rotas de voos saindo ou passando por Varginha para conectar a nossa cidade com os demais aeroportos, dando condição das pessoas se deslocarem, dando essa forma e transporte que é mais moderna, que é mais rápida e que também atrai investimentos para o município, facilita muito a vida do município e também nós podermos avançar em relação à transformação do nosso aeroporto em aeroporto internacional de cargas. Nós estamos falando em transformar o nosso aeroporto existente em aeroporto internacional de cargas. Enquanto Pouso Alegre está falando em construir um aeroporto. É uma distância muito grande. Estamos muito à frente nessa história. 

09 – Candidato, a Guarda Municipal, criada em Varginha pelo PT viveu seu ápice de eficiência na gestão petista. Hoje, a instituição e a segurança pública em Varginha estão em declínio. Qual seu projeto para a Guarda Municipal e a segurança pública?

R.B – O nosso projeto é retomar o que a Guarda foi e não deveria ter deixado de ser jamais. Uma instituição que tem uma ação estratégica importante por parte da prefeitura, que tenha uma valorização de seus membros por parte da prefeitura, que possa atuar efetivamente na segurança das pessoas, porque hoje nós vivemos um contexto muito favorável de relação da Guarda com a Polícia Militar, e podermos avançar em termos de integração. Então, nosso projeto é de valorizar a Guarda, retomar a autoestima dos agentes para que eles possam voltar a atuar como atuavam antes e queremos avançar nesta proposta de parceria da Polícia Militar e da Guarda Municipal. Porque acreditamos que a segurança pública e também outras questões, elas devem ser feitas de forma que some forças com as instituições que têm alguma atuação de afinidade com aquela que você tem de exercer. Então hoje é possível nós avançarmos em postos de segurança integrados, entre Guarda Municipal e Polícia Militar, à exemplo do que foi feito na Rodoviária e levar isso para outros pontos estratégicos do município. Para que a gente possa fazer a segurança chegar mais próximo das pessoas, para que a gente possa fazer o estado chegar mais perto das pessoas e as pessoas se sentirem mais amparadas. Podemos também avançar criando destacamento integrado da GM com a PM, inclusive para fiscalização do trânsito. Nos temos hoje em Varginha um trânsito entregue á boa vontade dos condutores de veículos e dos pedestres, sem ter uma orientação, sem ter uma fiscalização. Nós queremos avançar colocando também a GM e a PM para atuar no trânsito, educar as pessoas e também fazer uma fiscalização evitando os possíveis abusos que podem existir. 

10 – Candidato, em seu programa o senhor aponta diversas falhas da atual gestão, que vem enfrentando uma grande falta de recursos em razão da crise econômica. Em quais ações e programas esta gestão está acertando. E o que o senhor manteria deste governo e porquê?

R.B – Primeiro é importante destacar que a arrecadação do município não teve queda. Todas as projeções que foram feitas no orçamento, elas foram superadas. Pode ser que tenham sido superadas abaixo do que se esperava, mas todas as projeções foram superadas. Então, a arrecadação do município, por mais que se queira fazer um discurso tentando colar em Varginha um problema nacional, nós não passamos por isso aqui. A cidade avançou, nós tivemos a implantação de um shopping que já veio desde a gestão do prefeito Corujinha, nos tivemos a retomada do Café Solúvel, agora com uma nova empresa, o Café Três Marias, então a vida da cidade ela continua. Teve uma mudança de cobrança de IPTU pela atual administração que elevou muito a arrecadação do município, em torno de 10 milhões de reais. Então não tivemos queda significativa. Aliás, no geral não tivemos queda, tivemos sempre um avanço da arrecadação da administração. Agora é claro, nós temos de reconhecer que cada administrador ele tem o seu papel e ele dá sua contribuição para a história. Então precisamos avançar. O que nós criticamos da atual administração é que é uma administração muito acanhada, parada. É uma administração que não se conecta com o Governo do Estado, não se conecta com o Governo Federal e fica muito retraída no espaço administrativo da prefeitura. Não dá para administrar assim. Hoje não se concebe uma administração assim, dentro de uma administração mais moderna. É preciso que o prefeito, ele faça a administração do dia a dia mas que também tenha um perfil empreendedor. Que ele busque recursos. O departamento de recursos da prefeitura, ele é um departamento que tem de funcionar estrategicamente. O que vai ficar de recursos captados para o próximo prefeito? Parece que nada! Não tenho conhecimento. Ao passo que a atual administração recebeu inúmeros recursos captados. Nós temos seis Unidades Básicas de Saúde sendo construídas, recursos para a construção de cinco creches, nós tivemos recursos de mais de dois milhões para concluir a Praça de Esportes e Cultura, nós tivemos recursos aí para diversas áreas do município. E, no entanto, o que nós estamos percebendo é que quem vier depois dessa administração vai ter muita dificuldade porque vai ter de reestruturar esse departamento, vai ter de se reconectar com as instâncias estaduais e federais para garantir recursos para o município. Infelizmente, a atual administração se distanciou dessa instância e ficou muito restrita ao dia a dia da administração, e mesmo assim não correspondendo com as expectativas do nosso povo. 

Candidato, considerações finais?

R.B – Quero agradecer a oportunidade de estar aqui, dizer que a democracia ela é importantíssima, tenho dito isso. Acho que temos de ter a maturidade de conviver com as diferenças, respeito aos outros candidatos que estão nessa disputa. Discordo de alguns pontos, claro que isso é natural, mas precisamos saber que temos que ser tolerantes uns com os outros. Acho que a cidadania, a democracia exige isso de nós. Nenhuma forma de intolerância pode prevalecer entre nós. E nós, agentes políticos que estamos à frente de um processo eleitoral importantíssimo, estamos disputando a Prefeitura de Varginha, uma cidade que é pólo regional, uma cidade que tem uma história construída. Somos aí uma população enorme. Além de Varginha outras pessoas vêm a Varginha acessar serviços em Varginha, trabalha em Varginha. Varginha é para além dela mesmo, nós temos de dar exemplos que nós não somos pessoas que fiquem aí com dificuldade de lidar com as diferenças e também não podemos ser indutores de intolerâncias, sejam elas de qualquer natureza, por questões raciais, por questões sociais, por opções sexuais ou por questões políticas. É isso que acho que temos de fazer, dar esse exemplo para a sociedade, para que a gente possa ter uma cidade para que as pessoas possam conviver com harmonia, ter mais saúde, mais educação, mais transporte de qualidade, possam viver melhor. Nós sabemos que Varginha quer mais para todos. E nós queremos trabalhar para que essas pessoas possam ter o que elas querem, o que, infelizmente, muitas coisas elas não estão tendo nos últimos anos. Muito obrigado!

Ok. Muito obrigado.
 
Comente o Artigo
 
Últimos artigos deste colunista
17/08/2022
15/08/2022
10/08/2022
05/08/2022
« ver todos
 

Varginha Online - © 2000-2022


Provedor e Parceiro Oficial
IPHosting