PUBLICIDADE

Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
rodrigogazeta@bol.com.br
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
 
Razão x Coração; Plano de Governo; Tratamento de choque; Pedágio e eleições; Avante apresenta pré-candidatos
29/05/2024
 

Razão x Coração

O prefeito Vérdi Melo esteve na Câmara de Varginha recentemente, na reunião ordinária de segunda-feira. O prefeito foi sem aviso prévio e não foi a primeira vez que fez isso! Por certo que a “bancada governista sabia” da visita e defensores ferrenhos do governo como Dudu Ottoni foram preparados para defender o governo caso “o caldo entornasse, mas não foi este o caso”. O prefeito foi falar sobre as ações emergências que tem realizado para combater a Dengue em Varginha, que cresceu em contágio e mortes, a exemplo de outras cidades. Verdi informou que a Prefeitura de Varginha firmou parcerias com o Hospital Regional e vai abrir o Hospital da Criança (atrás do Hospital Bom Pastor) para atender os doentes de dengue. Esta articulação vai abrir novas vagas e, espera-se, que os números da dengue melhorem em Varginha. A conversa entre o prefeito e vereadores, principalmente da oposição foi moderada e civilizada, mesmo porque ficou apenas em “temas amenos”. Se bem que teve vereador com perguntas ácidas que não foram colocadas. Verdi sabe que se fosse abrir o leque dos assuntos no plenário da Câmara poderia causar o “tumulto não desejado e soube conduzir”. Mas a vitória da razão sobre o coração tem motivo: ainda é cedo para brigas abertas e ainda mais no Legislativo que possui “torcida aberta e jogadores diversos”. Mas é certo que a calma e razão do encontro inesperado, esconde de ambos os lados “descontentamento, traição e disputa de poder”. A esperar o próximo encontro entre prefeito e vereadores, que pode ser bem mais rápido do que pensamos...

Plano de Governo

A coluna tem acompanhado o dia-dia dos principais pré-candidatos a prefeito, bem como alguns nomes fortes para o Legislativo nas eleições de 2024. Fica claro que tais candidatos pouco ou nada apresentaram até aqui do (necessário) plano de governo que todo candidato precisa ter. Nomes consagrados da política falam de “cidade melhor, experiência para administrar, honestidade e família etc”. Mas na prática, nada contam sobre quais planos tem para a cidade? O que pensam para a Educação, para a Saúde, para a Segurança Pública etc? As redes sociais de muitos pré-candidatos (que deveriam conter propostas) estão repletas de fotos com pessoas desconhecidas dos próprios candidatos, fotos montadas tentando passar a ideia ao eleitor que o candidato é querido ou popular! O velho modo de fazer política! A Justiça Eleitoral assegura que os candidatos majoritários precisam apresentar um plano de governo, que a esta altura deveria já estar sendo debatido com as legendas e seus pontos principais apresentados e discutidos com a sociedade e setor produtivo, mas não vemos nada disso ainda! Varginha precisa de modernização no trânsito, projeto de governo para atração de empresas e programa municipal de apoio a Cultura e Esportes entre tantas outras coisas! Mas parece que boa parte dos pré-candidatos está mesmo é preocupado com os recursos para campanha e distribuição de benesses aos eleitores. A Justiça Eleitoral e Ministério Público, pelo visto, sofrem de “catarata seletiva que somente enxergam o que querem no momento que querem”. E vida que segue, pois outubro está chegando...

Tratamento de choque

O deputado estadual Cleiton Oliveira (PV) parece que “tomou um tratamento de choque” para definir se vai mesmo ser candidato ou não em Varginha. O silêncio e mansidão que o parlamentar apresentava nas últimas semanas em que estava longe de Varginha, preocupava muita gente. Mas parece que o deputado “retomou a agenda de candidato em Varginha” e está mais presente na cidade e envolvido nas pautas locais. Agora presente em eventos, questionando ações municipais e construindo relacionamento com setores da sociedade, Cleiton começa a ser visto nas ruas e não tem andado sozinho. O ex-vereador Rogério Bueno e a ex-presidente da Câmara Zilda Silva estão sempre presentes com Cleiton Oliveira nos principais compromissos públicos. Zilda Silva pode ser a vice de Cleiton, enquanto que Rogério Bueno caminha para ser candidato a vereador e com condições de arrebanhar uma boa votação. Não se sabe se o “tratamento de choque dado no deputado valeu e será efetivo”, mas é certo que se Cleiton “dormir e abandonar a disputa com agendas fora da cidade, pode dar adeus a importantes apoios que podem ser vitais para a disputa municipal em Varginha”. A conferir!

Pedágio e eleições

Muitos candidatos da região estão acreditando que o alto valor do pedágio na MGC 491 e outras rodovias estaduais vai impactar forte e diretamente os candidatos apoiados pelo governador Zema na região. A discussão é complexa e envolve diversos fatores, milhares de empresas e pessoas físicas utilizam a MGC 49 diariamente e as demais estradas que foram entregues para concessão pelo Governo Zema. O ponto principal, pelo menos para as empresas e boa parte das pessoas que utilizam a estrada, é saber se o alto valor do pedágio terá retorno?! Afinal, a alta tributação no Brasil não é novidade, o difícil para quem paga é saber se haverá retorno no gasto. As primeiras indicações seriam de que a empresa vencedora do leilão vem realizando um bom trabalho nas estradas que administra em São Paulo. Contudo, ainda temos muitas melhorias a fazer na MGC 491 até que o motorista veja viabilidade em pagar o valor estipulado no pedágio. A empresa até chegou a apresentar uma tabela de preços diferenciados para quem trafega com intensidade nos trechos com pedágio, mas isso não contagiou a população de Varginha. Na cidade há quem diga que Zema “perdeu apoio depois do valor do pedágio, outros dizem que a depender da qualidade da via, o governador pode ganhar prestígio”. De qualquer forma, isso é algo que somente o tempo vai mostrar. Mas a coluna continua insistindo que, justo mesmo, seria a cobrança iniciar no trecho Varginha – Fernão Dias, somente depois que a duplicação da estrada até Varginha fosse concluída! E tal proposta não é assim tão difícil de ser alcançada, dizem alguns do meio político. Quem sabe os governistas municipais e estaduais estejam apenas esperando começar as eleições para anunciar as “boas novas”?

Avante apresenta pré-candidatos

O Avante reuniu seus pré-candidatos em Varginha para uma reunião onde foi também lançado o nome do vereador Dudu Ottoni como pré-candidato a prefeito de Varginha. O evento contou com a presença da deputada federal Greice Elias, além da presença de outras lideranças políticas locais. O Avante cresceu em Varginha depois da eleição do prefeito Vérdi Melo pela sigla. Depois disso, diversas outras lideranças, como o próprio presidente local da legenda, Dudu Ottoni, chegaram e trouxeram nomes de peso para o partido. Muitos acreditam que a legenda tem condições de fazer dois vereadores em outubro. Isso incluindo a provável reeleição de Dudu Ottoni, que até então estava como pré-candidato a vereador e não a prefeito. Dudu Ottoni é uma liderança governista no Legislativo e vem aprendendo rápido as negociações políticas, sendo hoje a principal liderança e forte defensor do governo na Câmara o que lhe rendeu poder e popularidade. Na tradicional Família Ottoni temos muitos que apoiam e já preparam uma candidatura de Dudu a prefeito, como é o caso do ex-prefeito e pai de Dudu, Eduardo Ottoni. Por certo que seria um sonho para Eduardo Ottoni ver o filho sentar-se na cadeira que o lançou para a vida política. Eduardo Ottoni saiu de prefeito de Varginha para deputado estadual e se engana quem acha que Dudu não tenha a mesma “fome política”. Mas na mesma Família Ottoni tem quem ache que seja cedo para Dudu trocar a certa reeleição por uma candidatura a prefeito. Tem também quem acredite que uma candidatura de Dudu Ottoni a prefeito seja prejudicial à candidatura governista de Leonardo Ciacci. E na Família Ottoni todos parecem ser governistas, logo, atrapalhar a candidatura governista a prefeito não parece uma boa ideia. Em sigilo, fontes da coluna indicam que a verdadeira razão de uma candidatura de Dudu Ottoni a prefeito, na verdade, é apenas uma articulação para “levantar a bola do Partido Avante, ganhar credibilidade com a deputada federal da legenda e, sobretudo, conquistar o convite do PSD para que Dudu Ottoni e o Avante, ocupem a vice de Ciacci”, construindo assim uma dobradinha PSD/Avante. Difícil será vender esta ideia ao governo e às demais legendas que também sonham com a vaga de vice!

IPTU: Justiças e injustiças do imposto municipal

O Imposto Predial e Territorial Urbano IPTU é um imposto de total administração dos municípios. Ou seja, é sempre a Prefeitura/Câmara quem controla quanto vai cobrar, de quem vai cobrar, quando vai cobrar e como é também quem fica com 100% do dinheiro pode escolher onde vai investir o recurso. E no caso de Varginha estamos falando de milhões e milhões de reais que são arrecadados todos os anos, com aumento gordo de valor a cada ano. Isso mesmo que não tenham aumentos significativos do imposto anualmente, mas o número crescente de casas e crescimento urbano com novos loteamentos garante que o IPTU arrecade a cada ano mais, pois mais pessoas pagam todo ano! O IPTU de Varginha já começou a ser pago, vale pontuar que alguns valores são baixos e fazem justiça a famílias carentes, enquanto que outros são bem altos por tratarem-se de casas de luxo em bairros ricos ou grandes construções pela cidade. Mas entre o valor mais alto e o mais baixo temos também injustiças estruturais na cidade que envolvem o IPTU e deveriam ser alvo dos políticos, principalmente aqueles que desejam administrar Varginha. Temos, por exemplo, terrenos que não tem ligação por rua e ainda assim, pagam IPTU. Ou seja, o município cobra o IPTU mas não há rua para chegar ao terreno. Temos também imóveis que pagam IPTU mas não possuem serviço de coleta de lixo ou mesmo asfalto de qualidade na rua ou, absurdamente, não tem acesso a tratamento de água/esgoto da Copasa. Sem falar nos muitos imóveis na cidade que pagam IPTU mas não tem iluminação pública próxima. Vejam que não estou entrando no mérito do dever de pagar IPTU, mesmo que algumas cidades tenham escolhido por seus vereadores que não será cobrado o imposto municipal, sim, isso pode ser definido pela Câmara de Vereadores e o IPTU não ser mais cobrado! Mas não é este o pleito aqui! O que debatemos é que o cidadão pague IPTU e tenha garantido um mínimo de estrutura para seu imóvel. Os candidatos a prefeito deveriam procurar saber mais sobre o IPTU, para uns justo, para outros injusto, mas sempre cobrado e nem sempre gasto com sabedoria!

Segurança Pública

A coluna tem abordado o tema Segurança Pública em muitos momentos e este tema deveria ser alvo de atenção para todo eleitor e candidato nas eleições municipais de 2024. Varginha possui condição privilegiada frente a outras tantas cidades na região. Temos aqui sede de todas as forças de segurança pública. Em Varginha temos Polícia Federal, Polícia Rodoviária, Tiro de Guerra (que representa o Exército Brasileiro), Polícia Militar, Polícia Civil e até mesmo uma Guarda Civil Municipal. Juntos este efetivo representa centenas de homens e mulheres treinados que estão prontos para atuar na garantia da Segurança e Ordem Pública, mesmo que muitas vezes todo este efetivo e instituições não saibam trabalhar coordenados. Fato é que a despeito de todo este aparato de segurança e crescentes gastos no setor, em Varginha a violência cresce em algumas áreas estratégicas, como por exemplo o tráfico de drogas. As reiteradas prisões, volumes de drogas e armamentos apreendidos e grau de pureza das drogas aqui encontradas mostram que a bandidagem está “se capacitando na cidade”. Isso não é uma boa notícia! Isso porque o tráfico de drogas é um crime de fomentar toda a cadeia de violência e marginalidade. O aumento do tráfico representa no médio e longo prazo o aumento de crimes graves como assassinatos, roubos a banco etc. Levantamentos pela cidade mostram que o tráfico de drogas é um problema que precisa ser enfrentado. E para isso é preciso que todo o aparato de segurança sediado em Varginha tenha atuação conjunta. Afinal, a droga aqui apreendida não é produzida na cidade, ou seja, precisamos da Polícia Federal e Rodoviária para acabar com o fornecimento da droga que chega. Além disso, precisamos de investigação permanente para identificar as gangues e financiadores destes crimes, onde entra o trabalho da Polícia Civil e seu trabalho de apuração. Sem falar na presença constante nas ruas da Polícia Militar e Guarda Municipal que, normalmente, são as primeiras instituições a depararem-se com a criminalidade nas ruas da cidade. E claramente vemos que estas instituições não sabem ou não são estimuladas a trabalharem em conjunto. Seja por ciúmes institucional, vaidade política ou acefalia de comando das forças de segurança em Varginha que não realizam ações conjuntas, não trocam informações e a classe política, muitas vezes, estimula este distanciamento. Quem sabe este problema também possa ser foco da classe política neste ano eleitoral. Assim esperamos...
 
 
Últimos artigos deste colunista
19/06/2024
14/06/2024
07/06/2024
05/06/2024
« ver todos
 
KTO

Varginha Online - © 2000-2024


Provedor e Parceiro Oficial
IPHosting